AO MENOS TRÊS MOVIMENTOS ESTÃO INFILTRADOS NA PARALISAÇÃO

O Governo Federal identificou que pelo menos três movimentos políticos se infiltraram na greve dos caminhoneiros a fim de manter alguns pontos de bloqueios no País. Em reuniões do gabinete de crise, Palácio do Planalto afirmou que “Intervenção militar já”, “Fora Temer” e “Lula livre” são os principais movimentos que estão entre os manifestantes. 

O presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí, no Rio Grande do Sul, Carlos Alberto Litti, afirma que os grupos de resistência são motivados por interesses políticos e não econômicos. “Para esses que têm posição extremista, esse ou qualquer outro acordo não iria funcionar porque a intenção não é resolver problemas, mas criar o caos e a instabilidade”, comenta. 

Durante reunião, os líderes dos caminhoneiros informaram ao governo que os infiltrados na greve somam cerca de 15% do movimento. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, informou que por causa dessa situação a Polícia Rodoviária Federal está trabalhando para dispersar esse movimento. “A PRF conhece as estradas onde trabalha, conhece quem é líder do movimento caminhoneiro e sabe das infiltrações políticas. Ela está mapeando e não quer cometer nenhuma injustiça. Com muita cautela, vai começar a separar os infiltrados”, afirmou ele. 

A preocupação do Planalto é de que a pauta política ganhe força motivada pelos manifestantes infiltrados e gere protestos semelhantes aos de 2013, que iniciaram com a reclamação contra o aumento das passagens de ônibus e acabaram abalando o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *