CAMBRIDGE ANALYTICA PLANEJAVA LANÇAR CRIPTOMOEDA PARA VENDER DADOS PESSOAIS

A Cambridge Analytica, acusada de utilizar informações de 87 milhões de usuários do Facebook para influenciar as eleições dos Estados Unidos, pretendia lançar uma criptomoeda para vender dados pessoais obtidos ilegalmente. A ideia inicial era de criar uma Initial Coin Offering (ICO) e permitir que as pessoas vendessem suas informações pessoais e lucrassem com isso, plano que foi prejudicado com a recente polêmica em que a empresa se envolveu. 

De acordo com informações do The New York Times, a revelação vem da ex-funcionária Brittany Kaiser, que deixou a empresa em fevereiro. Ela não apenas informou que o número de dados coletados pela Cambridge Analytica é bem maior do que foi divulgado, como também alegou que foram utilizados mais de um questionário para obter informações pessoais no Facebook.  

Ela acusa a companhia de trabalhar em conjunto com a Dragon Coin, que é uma criptomoeda destinada a entusiastas de jogos de azar na ilha de Macau, localizada no território chinês. Kaiser afirma que chegou a oferecer seus serviços para inúmeras empresas que operam moedas virtuais durante o tempo que trabalhava na empresa. 

As expectativas são de que as declarações da ex-funcionária encorajem outras pessoas a revelar negociações mais obscura que aconteciam dentro da Cambridge Analytica. Além de ser contratada para trabalhar na campanha do atual presidente americano, Donald Trump, a empresa também foi envolvida no Brexit, que aconteceu na Europa no mesmo ano. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *