EM MENOS DE UM MÊS MENDES MANDOU SOLTAR 15 PRESOS PELA LAVA JATO 

Desde o dia 15 de maio o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu a soltura para 15 presos condenados pelo juiz Marcelo Bretas, que é responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro. O último libertado por decisão do ministro foi Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio-RJ, que recebeu um habeas corpus na sexta-feira (01.06). 

O ex-presidente da Fecomércio estava detido preventivamente sob suspeita de ter lavado dinheiro no esquema do ex-governador Sérgio Cabral, quando a entidade patrocinar um evento realizado pelo Instituto de Direito Público (IDP) com o valor de R$ 50 mil, instituição está em que Mendes é sócio. O ministro justificou sua decisão afirmando que os crimes aconteceram em um tempo “consideravelmente distante da decretação de prisão”.  

Além disso, o magistrado disse que a prisão é foi fundamentada pela necessidade de recuperar o montante desviado e não no risco do condenado fugir. “Não vejo adequação da prisão preventiva a tal finalidade, na medida em que recursos ocultos podem ser movimentados sem a necessidade da presença física do perpetrador”, alega. 

Vale lembrar que na última quarta-feira (30.05), o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) manter Diniz preso por unanimidade. Porém, após o habeas corpus concedido pelo ministro eles entenderam que não cabe mais ao tribunal julgá-lo processualmente. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *