EMPRESAS CRIAM SUAS PRÓPRIAS CRIPTOMOEDAS ATRAVÉS DO ICO

A grande valorização do bitcon durante o ano anterior, impulsionou empresas a criarem suas próprias moedas virtuais a fim de que elas cresçam dentro do mercado digital e gerem lucros. O processo, conhecido como “initial coin offering” ou simplesmente ICO, se popularizou e gerou tanto retorno, que já existem empresas especializadas na criação de moedas digitais. 

O ICO é um método que pode ser comparado a quando uma empresa começa a vender suas ações na bolsa de valores, só que no caso, essas ações são as moedas virtuais e as bolsas são a própria internet e seus investidores. Esse é o caso, por exemplo, da FlowBTC, que trabalha em conjunto com outras empresas que buscam levantar recursos e definir se investir em ICO é uma boa forma para arrecadar dinheiro em seu negócio. 

O processo está se popularizando rapidamente e conta até com uma espécie de fundo imobiliário internacional chamado de  Dynasty, que é responsável por investir diretamente em processos que envolvem tecnologia. Apesar de ter uma série de vantagens sobre outras formas de captação, como empréstimos ou mesmo a venda de ações, a ideia de lançar seus próprios tokens virtuais exige uma série de pequenos cuidados específicos, a fim de não arriscar em algo que não se alinha com as estratégias empresariais de cada negócio. 

Um dos principais riscos desse investimento se refere, justamente, ao fato de que não há dinheiro em forma física envolvido nesse processo. Isso requer que o empresário que pretende adentrar no ICO tenha certo conhecimento sobre o funcionamento das moedas digitais e se informe sobre empresas especializadas em criar criptomoedas, como forma de evitar operações fraudulentas, crime que tem aumentado muito desde a popularização do bitcon. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *