FIM DE PENDURICALHOS DEVE GERAR ECONOMIA DE R$ 2,3 BILHÕES 

Cálculos apresentados pelo deputado Rubens Bueno (PPS) na segunda-feira (11.06) indicam que a União e os Estados devem economizar cerca de R$ 2,3 milhões ao ano com o fim de penduricalhos nos salários dos servidores. O parecer do relator do projeto de lei que regulamenta o teto remuneratório do funcionalismo deve ser apresentado a uma comissão especial que avalia o tema ainda no dia de hoje. 

O projeto propõe o corte de benefícios como auxílio-moradia, honorários de sucumbência, remunerações para servidores que integram conselhos de empresas, entre outros. Esses auxílios têm sido muito utilizados para turbinar a remuneração de funcionários públicos acima do teto salarial de R$ 33,7 mil previsto pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

O deputado também aproveitará a oportunidade para apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que tem por objetivo acabar com as férias de 60 dias magistrados e os integrantes do Ministério Público. Apesar disso, a tramitação dessa PEC dependerá diretamente do apoio de 171 parlamentares, não podendo ir ao plenário enquanto vigorar a intervenção federal no Rio de Janeiro. 

De acordo com Bueno, apenas com a limitação do pagamento de auxílio-moradia é possível obter uma economia de R$ 1,16 bilhão ao ano. Vale lembrar que desde o ano passado os servidores públicos estão tentando barrar a tramitação do projeto, que é uma das prioridades do governo para a redução de despesas com pessoal. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *