INSTITUTO CULTURAL FLORESTA DOA 220 PISTOLAS GLOCK PARA A POLÍCIA CIVIL

Fruto da iniciativa de um grupo de empresários que percebeu a necessidade de ajudar a Segurança Pública, o Instituto Cultural Floresta realiza mais uma doação de armas à polícia. A solenidade ocorre nesta sexta-feira, 29 de junho, às 10h, no Salão Alberto Pasqualini do Palácio Piratini. Desta vez, são 220 pistolas Glock calibre .40 modelo G22. Ao todo serão quase 2 mil armas a serem entregues até final do ano, perfazendo o maior arsenal já doado pela iniciativa privada no Rio Grande do Sul. 

Cada unidade vem com a pistola, kit de manutenção, 4 carregadores (2 de 17 e 2 de 15 tiros) e kit para ajuste de empunhadura. Armas serão destinadas para delegacias de Polícia da Capital e também de cidades do Interior, priorizando as equipes e policiais que atuam “em campo”. 

Esse lote se destina à Polícia Civil. Outros lotes já foram adquiridos para a Brigada Militar, mas os pedidos e as liberações são diferentes, assim como os trâmites internos de cada corporação. O tipo de armamento também. Os próximos lotes incluirão centenas de pistolas .40, .45 e fuzis. 

A primeira solenidade de doação do Instituto Cultural Floresta ocorreu em 28 de março, no estacionamento do Iguatemi Porto Alegre. Na cerimônia foram entregues 46 veículos Pajero que ampliaram a capacidade operacional de unidades da Brigada Militar e da Polícia Civil. A frota foi comprada graças a doações de um grupo de empresários, unidos pelo objetivo de “tornar o Rio Grande do Sul um lugar seguro para viver e prosperar”.  

Com os cerca de R$ 14 milhões inicialmente recolhidos, também estão sendo comprados armamento e equipamentos coletes, GPS e rádios que reforçam o poder de combate ao crime. Os recursos vêm de 55 doadores, dos quais 30 pessoas e 25 empresas. Nenhum deles teve o benefício de isenção tributária. O objetivo do Instituto Cultural Floresta é que a iniciativa seja ampliada. É fomentar o engajamento da sociedade civil para tornar esse tipo de iniciativa permanente. O ICF luta pela criação de uma Lei de Incentivo à Segurança, destinada a facilitar a operacionalização das doações, para que não fiquem presas à burocracia e estimulem contribuições.  

O presidente do Conselho do Instituto Cultural Floresta, Claudio Goldsztein, destaca: 

“Após aprovada a nova Lei de Incentivo a Segurança, que o Governo está por enviar para a Assembleia Legislativa, em pouco tempo os recursos destinados diretamente para a segurança poderão recompor a frota das polícias, substituir todas as armas antigas e atender demandas das áreas de perícia, bombeiros ou prisional, com equipamentos que dificilmente o governo teria condições de adquirir sozinho.”  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *