MAIOR PREOCUPAÇÃO PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS É A CRISE POLÍTICA

Uma pesquisa apontou que 36% dos 1.341 empreendedores entrevistados consideram que a crise política é o fator que mais causa impacto negativo em seus negócios. O estudo foi realizado no fim de março pelo Instituto de Pesquisa e Ensino (Insper) em parceria com o Santander, que ouviram pequenos e médios empresários de todo o País. 

Entre os empresários ligados ao ramo de comércio e serviços, 19% e 18%, respectivamente, indicaram que a lenta retomada da economia brasileira é o que mais impacta nas empresas. Gino Olivares, pesquisador de economia do Insper, acredita que esse cenário tende a ser ainda pior durante a época de eleição. “Hoje, não acho que o pequeno empresário esteja pensando nas reformas (tributária e da Previdência), e sim na incerteza, nas denúncias criminais de agentes políticos”, explica. 

A opinião dos empresários é justificada por dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostram que o varejo teve a pior variação para o mês de janeiro em três anos, com queda nas vendas em mercados e combustíveis, assim como o setor de serviços, que caiu 2,2% em fevereiro. Para o pesquisador, a diminuição do consumo e a demora na melhora do mercado se devem a demora das instituições financeiras em repassar a queda nos juros. 

Isso explica o porquê de 20% dos empresários apontarem os juros como seu maior problema na pesquisa, além de 28% deles também responderam que a queda na taxa Selic não impactou em seus negócios. Alexandre Teixeira, superintendente de negócios e empresas do Santander, afirma que mesmo com a queda da Selic, que chegou aos 6,5% ao ano, as taxas praticadas pelos bancos não acompanharam o corte na mesma proporção. “A parcela da taxa que é composta pela Selic vem caindo, mas há outros fatores como tributos e inadimplência”, conclui ele. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *