PRODUTO BRASILEIRO É 30% MAIS CARO QUE O AMERICANO   

 

Um estudo produzido pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), indicou que um produto feito no Brasil pode ser até 30% mais caro do que um oriundo dos Estados Unidos. Nas outras edições do levantamento, a taxa do chamado custo Brasil era de 37%. 

No entanto, o presidente da entidade, João Carlos Marchesan, não acredita que essa redução seja proveniente de programas ou atitudes governamentais para o desenvolvimento do País. Ele explica que o caso está atrelado a depreciação do real frente ao dólar, além da baixa taxa de juros básicos. 

“Infelizmente a redução não foi consequência de um esforço do governo para diminuir nossos custos, mas da depreciação do real frente ao dólar e da redução da taxa de juros básicos da economia”, comenta. 

Para Mário Bernardini, diretor de competitividade da Abimaq, a falta de competitividade do Brasil é um problema que está fugindo de controle. “O grosso da nossa falta de competitividade é um problema do Brasil e não da indústria, pois é resultado de fatores sistêmicos, sobre os quais não temos controle”, conclui. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *