RECLAMAÇÕES CONTRA INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS CRESCEM 9%

Dados divulgados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) indicam que em 2017 foram protocoladas mais de 81 mil reclamações, o que significa um crescimento de 9% em relação ao ano anterior. As reclamações foram realizadas via telefone, internet ou mesmo presencialmente, dentre as queixas que resultaram em processos administrativos estão ofertas irregulares, com 21,4% e a intermediação de valores mobiliários, com 18,1% 

De acordo com a CVM, esse número de reclamações é impulsionado pelo aquecimento do mercado financeiro, incentivado por juros baixos, o que atrai novos investimentos, mas também faz crescer a necessidade por uma “clara retomada da demanda por orientação”. José Alexandre Vasco, superintendente de proteção e orientação aos investidores da CVM, afirma que as reclamações mais frequentes se referem ao mau funcionamento das plataformas de negociação e alegação de operações não autorizadas.  

“A demanda de massa cresceu muito, então temos recebido muitas informações sobre falhas nos sistemas e plataformas, além de falta de transparência”, comenta. 

Para Bernardo Pascowitch, fundador do buscador de investimentos Yubb, o fenômeno pode ter sido gerado, em parte, pela queda na Selic, que promoveu uma busca por produtos mais arriscados. “Muitas instituições pecam em não informar sobre os riscos existentes, principalmente em caso de produtos que não contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC)”, conclui. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *