SETOR EMPRESARIAL SE ANIMA COM TERCEIRIZAÇÃO

Após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de tornar a terceirização irrestrita, ou seja, para a atividade-fim de uma empresa, constitucional, o setor empresarial se mostrou mais animado para investir em uma ampliação dos negócios. De acordo com Neide Montesano, presidente da Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização (Abmapro), a decisão do Supremo vai ao encontro dos modelos bem-sucedidos do exterior.

“O Brasil está deixando para trás um formato engessado para ir ao encontro de modelos bem-sucedidos de estímulo ao empreendedorismo e à atividade econômica. A flexibilização é um passo importante rumo a uma reforma tributária mais profunda, com a tão aguardada desoneração do setor produtivo”, comenta.

Segundo ela, além de criar novos postos de trabalho, a medida também garantirá que os funcionários do setor produtivo recebam um salário melhor do que vinham recebendo. Nesse cenário, ela acredita que, diminuindo o valor dos impostos que as empresas terceirizadas pagarão, aumentará o valor da remuneração dos empregados.

“A empresa terceirizada, dentro do regime do Simples Nacional, pagará muito menos impostos e, com isso, conseguirá remunerar melhor os funcionários do que uma grande empresa que tem o peso tributário sobre as costas. O custo da folha de pagamentos, que para mim é de 90%, para uma terceirizada menor é de 30%”, conclui.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *