Quase metade dos candidatos a ingressar pelo sistema de cotas raciais na UFRGS, 43%, foi rejeitada por suspeita de fraude.

Tentaram se passar por negros ou índios para poder ingressar na universidade com mais facilidade.

Que vergonha.

É por causa dessa índole psicopática que líderes negativos e igualmente psicopatas se elegem e são idolatrados mesmo depois de presos.

Os psicopatas-chefes, grandes mentores intelectuais, os caras que chegaram lá sem muito esforço, que se deram bem na malandragem, como essas pessoas gostariam de ter feito, é que são os heróis para essa parcela da população.

O Brasil só terá salvação com uma mudança radical na educação.

Na escola, mas principalmente em casa.

As crianças precisam ser ensinadas/condicionadas a serem honestas, a respeitar as leis e regras e a gostarem disso. Desde a primeira infância. Nos primeiros anos, no ensino fundamental. Isso sim seria realmente fundamental.

Mas não sei se nosso povo faminto e sequelado pela miséria tem condições de ser assim hoje. Só sei que precisamos mudar a nossa índole.

Tenho esperança que talvez agora, com o combate à corrupção, haja mais comida na mesa e consequentemente mais massa cinzenta para nossa gente que, assim, poderá ser melhor educada. Tenho uma tese que o povo miserável, que come mal, tem o emocional, mas principalmente o cérebro, subdesenvolvido.

Talvez agora a noção de decência e honestidade resgatadas ajudem a formar uma nova cultura de prazer no cumprimento de regras e no bem estar coletivo. O povo brasileiro, tão solícito e solidário, não tem o sentimento de coletividade.
Essas pessoas que fraudam sistemas públicos estão, além de cometendo crime de falsidade ideológica, também sendo egoístas e tirando o lugar de quem realmente teria direito ao benefício. Não têm empatia .

Mas ainda me questiono:

Era uma espécie de nazismo, esse ímpeto de purificação racial vitimista, não?

Fiscais precisaram estudar a pessoa e a origem familiar para confirmar se eram realmente negros?

A que ponto chegamos!

Nos governos esquerdistas, bastava anunciar ser parte de qualquer minoria para adquirir automaticamente direitos divinos e eternos de ter uma promissória impagável a cobrar da sociedade e do governo.

Agora, pelo menos, conseguimos detectar alguns fraudadores dos sistemas de cotas, o qual, pra mim, é a própria fraude.

Cotas poderiam existir apenas para pobres. Alunos de famílias de baixa renda. Mas só porque somos ainda um país miserável.

Se não fôssemos, as crianças e jovens saberiam que faz parte da educação poder aprender e ter gosto e gana para fazer esforço, ter resiliência e vencer na vida apesar das adversidades.

Que tempos, esses nossos.

Muda, Brasil!

(Carla Rojas Braga é psicóloga)

Este post tem um comentário

  1. Simplesmente sensacional. Parabéns, Carla!

Deixe uma resposta

Fechar Menu