O Brasil criou aproximadamente 529 mil empregos formais no ano de 2018, após três anos de demissões, segundo dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), que foram divulgados pelo Ministério da Economia. No entanto, o mês de dezembro passado registrou mais demissões do que contratações. 

De acordo com o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, o presidente da República, Jair Bolsonaro, irá trabalhar para “colher os frutos” da reforma da previdência. Ele disse também que a desburocratização dos processos será ponto chave para o crescimento e a geração de empregos no País. 

“Acreditamos que há uma necessidade de retiramos ainda mais a tutela do Estado na relação entre o público e o privado, entre os trabalhadores e empregadores, para facilitar a vida daqueles que querem empreender no Brasil. Vamos desburocratizar, permitir que um número maior de trabalhadores saiam da informalidade”, comenta. 

Nesse cenário, as contratações totalizaram 15.384.283 em 2018 e as demissões somaram 14.854.729 pessoas.  Esse também foi o melhor resultado, para um ano fechado, desde 2013, quando foram abertos 1.138.562 empregos com carteira assinada.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu