O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, assinou um acordo com os Estados Unidos relacionado ao setor de transportes, com foco no intercâmbio de experiências para incorporar o modelo americano de autorização na construção de ferrovias no Brasil. De acordo com ele, esse acordo serve como um impulso para diversificar a matriz brasileira.

Na sua avaliação, o modelo atual brasileiro “nem sempre fazem sentido”, visto que parte do dinheiro do investidor precisa voltar ao governo no fim de determinado período. Nos EUA, quando o investidor assume o risco de engenharia de determinada obra, por exemplo, passa a ser proprietário do ativo

“Às vezes você tem um investidor com interesse em explorar um segmento de ferrovia, em tomar o risco de engenharia, de meio ambiente, de fazer a obra e, mesmo usando todo o capital, a gente impõe a concessão, ou seja, ele vai se submeter à análise do Tribunal de Contas, o projeto vai passar por um rito muito mais demorado e, o que é pior, no final do tempo necessário para a amortização do capital investido, aquele ativo que é reversível tem que voltar para administração”, completa.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu