Cá com meus botões…

Hoje, refletindo e conversando com amigos sobre o assunto, resolvi escrever. Durante a minha vida até aqui, não muito longa, mas nem tão inexperiente, aprendi na pele, nas atitudes e nas palavras dos mais sábios que a frase “diga-me com quem andas que eu te direi se vou junto” nunca esteve tão próxima da realidade.

Na minha concepção, eu diria: diga-me quem admiras que eu te direi se vou junto.

É a mais pura verdade!

Amizade, namoro, casamento são parcerias que escolhemos. Até mesmo a família, em certo momento, escolhemos por afinidade. Nem sempre o laço sanguíneo significa atestado de amor, compreensão e tolerância. O verdadeiro elo que existe é o da alma, que pode ou não coincidir com o sanguíneo.

Por que tudo isto? Quando dizem “Fabi, não perde amizades por política, não discute por política”. Eu digo: “Não discuto ou me afasto de pessoas por política, mas por princípios de vida. Tenho vários defeitos mas da obrigação de ser honesta e ética eu não abro mão”.

Não luto por partidos, ideologias, porém a esquerda é algo que não deu certo em lugar algum do mundo. Seus adeptos tornam-se súditos cegos e alienados. Na direita , também há idolatria burra, mas ainda encontra-se a maioria daqueles que defendem a meritocracia.

Inaceitável é alguém que defenda bandidos, gente corrupta, desonesta, ladra, que forja qualquer coisa visando apenas o seu umbigo. Com este tipo de gente eu não quero conviver e é meu direito.

Observo muito as pessoas e a quem elas admiram, quem são seus amigos. Se há muitos “serei resistência “, “Lula livre”, entre outros, mantras da seita, eu realmente abro os olhos e me afasto. Seria um problema se fosse o caso de um cônjuge. Mas como me conheço, seria incompatível qualquer tipo de relacionamento afetivo com alguém que tem tantos admiradores de um bandido ao redor. É questão de caráter, princípios, não de inteligência.

Basta apenas saber distinguir o certo do errado e ter discernimento de que este conceito não muda de acordo com a pessoa em questão.

Não é preconceito, mas conceito de vida e de constatação das escolhas do outro pela afinidade de suas parcerias.

Eu fiz a minha escolha de conviver com gente verdadeira, que não apoia o crime seja de quem for, não admira contraventor e bandido e que não faça de seres humanos deuses acima do bem e do mal.

Para mim, Deus é um só e está acima de todos.

(Fabiana Machado é médica)

Este post tem um comentário

  1. “a esquerda é algo que não deu certo em lugar algum do mundo.” FRASE TOTALMENTE FELIZ!

Deixe uma resposta

Fechar Menu