O doutor em direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e mestre em economia na Universidade Federal de Brasília (UnB) e autor do blog “O “E$pírito das Leis”, Bruno Carazza, afirmou que a divisão do fundo eleitoral está dificultando a renovação da política brasileira. Segundo ele, em uma coluna publicada para o portal da Folha de São Paulo, os partidos maiores e os que conseguem melhores alianças saem em vantagem. 

“Analisando documentos enviados por 29 dos 35 partidos ao TSE, fica claro que, afora a disputa presidencial, que sempre atrai os holofotes, neste ano o foco da maioria dos partidos está na eleição para a Câmara dos Deputados” indica. 

De acordo com o especialista, isso se justifica pelo fato de que, quem tem o maior número de membros no congresso tem direito a uma maior fatia do fundo nas próximas eleições e também um maior tempo de propaganda eleitoral gratuita na TV. Isso justifica, segundo ele, o fato de vários grandes partidos apostarem na reeleição de seus deputados.

“É preciso destacar, ainda, que maiores bancadas no Congresso significam maior poder de barganha diante do novo governo, seja ele qual for. Aliás, isso não é novidade nenhuma em nosso presidencialismo de coalizão —ou cooptação, como preferem alguns”, finaliza. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu