O economista e pesquisador Ricardo Paes de Barros, conhecido como PB, afirmou que é preciso celebrar o baixo crescimento da pobreza devido ao período de crise. Segundo ele, que é economista-chefe do Instituto Ayrton Senna e professor do Insper, qualquer ponto positivo perante esse período precisa ser comemorado.

“Obviamente, a gente gostaria de ver a extrema pobreza continuando a cair e espera que ela volte a cair, mas, em certo sentido, dada a magnitude da recessão e do desequilíbrio fiscal do país, ela subir menos de um ponto percentual mostra uma certa resiliência, porque ela tinha caído 10 ou 11 pontos percentuais, dependendo de como se mede”, comenta.

Isso porque, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicaram que o contingente de pobres no país aumentou de 25,7% para 26,5% da população entre 2016 e 2017. Nesse cenário, o especialista diz que o dado representa uma grande conquista.

“Para um país que tinha mais de 10% da população na extrema pobreza, eu não chamaria isso de reversão de maneira nenhuma. A grande conquista da nossa redução da extrema pobreza no passado foi que, embora em parte ela tenha sido explicada pelo Bolsa Família, em larga medida, se deu por inclusão produtiva, pelo trabalho das pessoas”, conclui.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu