O economista Adam Tooze, professor de história da Universidade Columbia e autor do livro “Crashed: How a Decade of Financial Crisis Changed the World” afirmou, em entrevista para a Folha de São Paulo, que o mundo ainda não se recuperou da crise de 2008. Segundo ele, a crise levantou uma onda conservadora em todo o mundo.

“Depende de para onde você olha. Você poderia citar a experiência americana, onde a recuperação econômica da crise foi vigorosa, mas não se estende a todas as pessoas na sociedade. As minorias sofreram perdas em sua riqueza que não vão ser recuperadas em décadas. Mas o mercado de trabalho está forte, o desemprego caiu dramaticamente”, comenta.

No caso do populismo, ele avalia que depende de cada país e de como as pessoas se comportam e entendem o mundo a sua volta. “Uma forma de pensar é em uma imagem metafórica, você pensa na crise financeira como um terremoto. O impacto que tem nos sistemas políticos ao redor do mundo depende do quão perto eles estão do epicentro do terremoto, de quão sólida sua arquitetura é e depende de como os sistemas políticos foram bem mantidos”, indica.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu