O administrador de empresas formado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), João Luiz Mauad, afirma que a atual situação da Venezuela deve servir como exemplo a não ser seguido pelo Brasil e seus vizinhos sul-americanos. Segundo ele, esse modelo de política socialista vem falhando em todos os lugares em que foi imposta.

“A experiência venezuelana, embora altamente trágica para os seus cidadãos, é uma lição histórica sem preço para seus vizinhos latino-americanos, cuja maioria ainda flerta com a utopia socialista, mesmo que esta jamais tenha funcionado, onde quer que tenha sido tentada”, comenta.

Nesse cenário, Mauad usa informações divulgadas pelo o economista Mark J. Perry, que indicam que a Venezuela produzia 2,5 milhões de barris de petróleo por dia (bpd) em 1994 e o estado do Texas apenas 1,75 milhão. No entanto, após o governo Chávez/Maduro, a produção petrolífera da Venezuela caiu tanto que é praticamente três vezes menor do que a do estado do Texas.

“Só no último ano, de acordo com o economista Mark J. Perry, enquanto a produção de petróleo no Texas subiu quase 24%, a produção na Venezuela caiu mais de 29%. Segundo ele, surpreendentemente, apenas a produção de petróleo da região da Bacia do Permiano, no oeste do Texas, está agora em 3,2 milhões de barris, mais do dobro da produção da Venezuela, de 1,47 milhão de bpd”, conclui.

Além disso, para ele, o modelo de governo socialista implantado na Venezuela não valoriza a população como parte de um todo, mas sim como o que chamou de “peças de xadrez”. “Políticos e burocratas que promovem políticas socialistas redistributivas geralmente agem como se as pessoas fossem apenas objetos inertes que podem ser movidos aqui e ali, como peças em um tabuleiro de xadrez”, finaliza.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu