O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a implantação da carteira de trabalho verde e amarela, que busca flexibilizar os direitos trabalhistas, só será discutida depois de aprovada a Reforma da Previdência. De acordo com ele, a primeira não pode atrapalhar a tramitação da segunda.

O ministro afirmou que a nova Previdência apenas indicará o caminho para a abertura desse novo modelo. “Nós não vamos misturar isso e atrapalhar o trâmite [de Previdência], não. Ao contrário. A gente fala: estamos reformando isso daqui e lançando esta proposta para ser regulamentada”, comenta.

Guedes voltou a relembrar o discurso de que o novo modelo dará uma escolha aos jovens. “Se você quiser escolher os direitos atuais, você entra no sistema atual. Se quiser optar pelo sistema novo, vai para a carteira verde e amarela, é um sistema de capitalização, os encargos são diferentes, as empresas não têm o custo sobre a folha de pagamento, vamos financiar esse sistema de uma outra forma”, afirma.

Quanto à reforma da previdência, o ministro ressalta a necessidade de um sistema de capitalização. “Nós queremos criar um regime de capitalização que contemple escolhas dos jovens a respeito da legislação trabalhista, porque hoje eles são prisioneiros de uma legislação de trabalho fascista de cooptação de sindicatos”, conclui.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu