O Futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu ontem (17.12) em uma cerimônia com empresários na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) no Rio de Janeiro, que pretende aplicar um corte de, no mínimo, 30% nas verbas do chamado “Sistema S”, que engloba instituições como Sesc, Senai, Sebrae, Sesi, entre outros. Segundo Guedes, é preciso cortar agora para evitar essa diminuição mais para frente.

“Como é que você pode cortar isso, cortar aquilo e não cortar o Sistema S? Tem que meter a faca no Sistema S também. Óóó! Vocês estão achando que a CUT perde o sindicato, mas aqui fica tudo igual? O almoço é bom desse jeito, ninguém contribui? Eu acho que a gente tem que cortar pouco para não doer muito. Se tivermos interlocutores inteligentes, preparados, que quiserem contribuir como o Eduardo Eugênio (presidente da Firjan), a gente corta 30%. Se não tiver, é 50%”, disse Guedes.

O presidente da Firjan, Eduardo Eugênio, que administra os recursos do Senai e do Sesi no Rio, defendeu a atitude do futuro ministro. “Acho que todas as organizações e instituições no Brasil, privadas ou públicas, merecem uma revisita para melhorar seus custos”, comenta.

Deixe uma resposta

Fechar Menu