O Tribunal Superior Eleitoral estabeleceu uma regra prévia de que somente os candidatos registrados nas vaquinhas online poderão utilizar os recursos adquiridos na campanha. Então, caso o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, seja escolhido para assumir a cabeça do PT nas eleições não poderá utilizar dos mais de R$ 500 mil adquiridos de forma online por Luiz Inácio Lula da Silva. 

O PT pretende realizar o registro da candidatura de Lula até o próximo dia 15. No entanto, como o ex-presidente foi condenado na Lava Jato a 12 anos e 1 mês por corrupção e lavagem de dinheiro e se encontra preso na sede da Polícia Federal de Curitiba, se enquadra da Lei da Ficha Limpa e terá seu registro cassado. 

Nesse cenário, Haddad que será registrado como vice é quem assumirá a chapa, levando junto a deputada estadual pelo PCdoB gaúcho, Manuela D’ávila. Caso se confirme, tanto a vaquinha de Lula quanto a de Manuela, que era pré-candidata por seu partido, devem ser devolvidas aos seus respectivos doadores. 

De acordo com o ex-ministro do TSE Henrique Neves, caso a candidatura seja cantada um tempo depois do registro, o dinheiro que não foi gasto poderá ser usado pelo partido. “Se a campanha for encerrada e houver sobras, elas têm de ser destinadas ao partido político”, afirmou. 

O PT disse que não iria se manifestar sobre hipóteses. 

Deixe uma resposta

Fechar Menu