A interferência que promoveu o governo de Jair Bolsonaro sobre o reajuste do preço do diesel pode acabar reforçando a pressão pela privatização da Petrobras, segundo informou Marcelo Mesquita, conselheiro da estatal. De acordo com ele, é preciso que a população se manifeste contrária a esse tipo de decisão governamental.

“Episódios como esse precisam reforçar a pressão da sociedade para a privatização da área de refino e até da própria Petrobras. Ninguém questiona o preço da batata ou do arroz. O preço de qualquer produto sobe e desce”, afirmou o conselheiro.

A afirmação foi concedida depois que o presidente Bolsonaro acabou decidindo que a estatal segurasse um reajuste de 5,7% no preço do diesel pouco tempo depois de anuncia-lo. No entanto, essa atitude tem preocupado o mercado, já que as ações da Petrobrás caíram 5% depois do fato.

“Quando o fornecedor do produto é estatal e monopolista, sempre haverá a discussão se as decisões são políticas ou técnicas. Sempre teremos ingerência dos clientes ou de determinado acionista”, indicou Mesquita.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu