Restando apenas 15 dias para as convenções oficiais dos partidos que participarão do pleito de 2018, apenas dois dos 11 candidatos à presidência da República já anunciaram seus vices. De acordo com informações da IstoÉ, a vaga tem demandado bastante planejamento das siglas, já que três vices se tornaram presidentes do Brasil nos últimos 33 anos. 

Além de Michel Temer em 2016, José Sarney ocupou o posto de Tancredo Neves após sua morte em 1985 e Itamar Franco ficou no lugar de Fernando Collor de Melo após seu impeachment em 1992. A tendência para esse ano é de que a imprevisibilidade das eleições faça com que os partidos analisem a questão até o fim do prazo, já que a vaga tem sido usada como objeto de barganha para concessão de cargos nos ministérios em troca de apoio no Congresso. 

Até o momento, os únicos que oficializaram seus vices foram Guilherme Boulos (PSOL), que trabalhará com a indígena Sônia Guajajara e João Amoêdo (NOVO), que concorrerá ao lado do cientista político Christian Lohbauer. Já o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, está prestes a anunciar a advogada Janaína Paschoal, do próprio PSL como ocupante do cargo. 

O primeiro a oficializar sua candidatura, Ciro Gomes (PDT), tentava uma aliança com os partidos do centro, porém, como estes declararam apoio ao tucano Geraldo Alckmin, o pedetista agora flerta com PSB e com partidos de extrema-esquerda.  Nesse cenário, Alckmin e Marina Silva passam pela mesma situação, enquanto a candidata do REDE negociou com o vice-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, o ex-governador de São Paulo tentou o ex-ministro da Educação Mendonça Filho (DEM), ambos sem sucesso.  

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu