A especialista Patrícia Medeiros, mentora de startups do WeWorkLabs e fundadora da Miner Business, afirmou que os negócios do gênero estão avançando bastante no Brasil, mas, mesmo assim, ainda cometem erros. De acordo com ela, o grande problema está na ansiedade e na pouca experiência de mercado desses novos empreendedores.

“Muitos deles não sabem, por exemplo, como se portar, ou como vender sua ideia, diante de um investidor e acabam perdendo oportunidades. Por isso, poucas startups passam do segundo ano. Como esses empreendedores são dinâmicos e com projetos sempre feitos muito rapidamente, em uma negociação a ansiedade pode atrapalhar. Eles querem sempre mais fluidez, mas precisam entender como funciona a cabeça dos investidores do mundo corporativo”, escreveu em um artigo publicado no portal itforum365.com,br.

Outro erro comum, segundo ela, é a falta de habilidade para vender uma ideia. “Muitos desses jovens empreendedores possuem um grande conhecimento de toda a parte tecnológica da solução da startup. Porém, não conseguem passar isso de maneira estratégica para outras pessoas. Quando um projeto é apresentado para um empresário, não está só em jogo a parte técnica, mas o negócio”, indicou.

Além disso, é preciso mostrar qual o problema que o projeto está proposto a resolver, “e não focar somente, por exemplo, em falar sobre a extensão dos códigos de um software ou comentar sobre suas funcionalidades”.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu