A startup chinesa OneSpace lançou seu primeiro foguete na quinta-feira (17.05), o que significa um grande passo para o desenvolvimento de empresas privadas da China, que devem competir com os Estados Unidos. De acordo com o Bank of America Merrill Lynch, essa é apenas uma das inúmeras empresas do país que busca se inserir no mercado espacial que movimenta 339 bilhões de dólares. 

O objetivo dessa operação é coletar dados que serão necessários para o desenvolvimento de uma série de foguetes denominados OS-X. Em um comunicado oficial, a OneSpace afirmou que o foguete tinha 9 metros de envergadura e chegou a uma altitude de 273 quilômetros antes que enfim caísse, o que já era planejado pela empresa.  

De acordo com o porta-voz da empresa, Chen Jianglan,  eles esperam construir cerca de 20 foguetes desse tipo antes de 2020. A pretensão é lançar pequenos satélites que a fim de monitorar plantações, meteorologia, ou até mesmo alguns locais onde foram registrados desastres naturais. 

Esse mercado promete se expandir muito nos próximos anos já que os satélites são mais baratos e podem ser implantados mais facilmente do que as versões clássicas. Chen Jianglan afirmou que esse teste já chamou a atenção de muitos possíveis clientes, não apenas da China como também internacionalmente. “Várias empresas europeias e asiáticas especializadas em satélites nos contataram para estabelecer parcerias estratégicas”, finaliza ele. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu