A Petrobrás reduziu em 4,7%  o preço do gás de cozinha vendido em botijões grandes ou a granel, consumido por clientes industriais e comerciais. No entanto, a petroleira afirmou que não haverá queda nos preços do botijão de treze quilogramas, aquele que as pessoas costumam utilizar em suas residências.

De acordo com as informações, esse foi o terceiro corte seguido no preço do gás industrial, que veio acompanhando a queda das cotações internacionais do petróleo e o recuo do câmbio após o estresse pré-eleitoral. Nesse cenário,  o preço do produto acumula retração de 18,3%, desde o início de novembro, que foi quando as retrações começaram.

Segundo o Sindigás, que é o sindicato que representa as distribuidoras do combustível, o gás vendido em vasilhames maiores permanece 18% mais caro do que o mesmo produto engarrafado em botijões de 13 quilos, que sofreu um reajuste de 8,5% em novembro. Isso porque essa diferença de preços foi instituída em 2003 pelo governo Lula.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu