As atualizações no texto da reforma da Previdência deve ser o pontapé inicial para o próximo presidente, Jair Bolsonaro, conseguir colocar as suas propostas em prática a partir do dia primeiro de janeiro. De acordo com Arthur Maia (DEM-BA), redator da proposta de reforma de Michel Temer, o próximo governo pode aproveitar o atual texto da previdência.

“Não pense o Bolsonaro ou a equipe dele que vão reinventar a roda. Se o projeto não tratar de cinco temas centrais, não é reforma da Previdência. Se o governo que está tomando posse quiser carregar a mão em algum ponto ou aliviar em outro, existem emendas para viabilizar essas mudanças”, comenta.

Segundo ele, é preciso que Bolsonaro não trate o projeto de forma fatiada. “Não imagine que o governo terá condição de fazer mais de uma mudança. Não faz sentido a ideia de fazer a reforma aos poucos. Se o governo pensa em fatiar a reforma, vai passar o mandato inteiro tratando do tema e absorvendo todos os desgastes que esse tema traz para qualquer governo”, conclui.

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu