O surgimento da robótica e da automação na maioria dos postos de trabalho poderão modificar de forma considerável os processos e modelos de negócios em um prazo de 10 a 15 anos. Foi isso que indicou Renato de Oliveira Moraes, que é professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). 

“É preciso que pensemos nesta nova realidade em diferentes níveis. O primeiro é dos impactos na sociedade e como o país vai lidar com o crescente desaparecimento de postos de trabalho com tarefas mais repetitivas e estruturadas e, portanto, mais passíveis de serem automatizadas. Não existe ainda uma discussão para preparação dos jovens que irão entrar em um mercado de trabalho muito diferente do que existe hoje e tampouco como será a requalificação profissional das pessoas que serão substituídas por robôs”, escreveu ele no site itforum365.com.br. 

De acordo com ele, o segundo nível ocorre dentro das organizações, onde a automação poderá trazer alterações no posicionamento das empresas de diferentes setores. Assim como pessoas perderão seus empregos, empresas perderão sua fatia de mercado caso não consigam se adequar a esta nova e desconhecida realidade. 

“Por fim, o terceiro nível é o pessoal. Cada um de nós deve tentar imaginar qual será seu papel neste novo contexto. Esperar pelas definições de políticas do governo e ou por planos de ação das empresas onde trabalhamos hoje é se deixar levar pela correnteza dos acontecimentos”, conclui. 

(Equipe do site)

Deixe uma resposta

Fechar Menu