A receita das vendas do comércio brasileiro varejista caiu cerca de 1,3% nesse mês de setembro e registrou o pior patamar para o período desde o ano 2000. Os números foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na tarde desta terça-feira (13.11).

De acordo com a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, esse resultado também foi o mais negativo desde o mês de março de 2017, quando houve queda de 1,9% na comparação com o mês imediatamente anterior. “A base de comparação elevada traz um impacto para este mês de setembro”, comenta.

Os números do IBGE mostram também que houve uma perda de ritmo na recuperação do setor, que passou a acumular alta de 2,3% no ano. No mesmo período, havia ainda a liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS, o que promoveu maior consumo das famílias.

“Mas a leitura continua a mesma, de uma trajetória de recuperação. Apesar da perda de fôlego na passagem de agosto para setembro, os resultados acumulados continuam positivos. “Enquanto a gente não reverter essa situação fica muito difícil da gente ter um volume maior de vendas no varejo. Obviamente, o trabalhador com renda informal não tem tanto poder de consumo como aquele que tem assegurado benefícios””, destacou.

Deixe uma resposta

Fechar Menu